Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Contacto
Dúvidas ou sujestões dicasparapoupar@gmail.com
Newsletter

Escreve aqui o teu e-mail:

Delivered by FeedBurner

05
Out
17

Durante a semana o tempo é divido entre o lufa lufa da volta ao trabalho e as brincadeiras ao final do dia, ao fim de semana aproveito todo o tempo livre para brincar com a minha filha e dar-lhe a atenção que ela merece. Assim os momentos de descanso são enquanto ela dorme.

Assim, as coisas vão retomando um pouco ao normal e este ano voltámos à marmelada.

Então com a primeira produção do nosso marmeleiro foi altura de fazer Marmelada Caseira, desta vez com menos açúcar.

Utilizei menos açúcar que o habitual e ficou igualmente boa :)

Depois de limpar os marmelos e retirar as sementes (a casca fica), tinha 2,5kg de marmelos que coloquei na panela de pressão intercalados com 1 kg de açúcar branco e 1 chávena de açúcar amarelo (1 resto que tinha), juntei 100ml de água e mexi muito bem até o açúcar dissolver antes de fechar a panela.

Depois de começar a ferver contei cerca de minutos (deixei um pouco mais de tempo por ser mais quantidade e fiz tudo de uma vez).

Entretanto triturei os marmelos e coloquei em taças, utilizei mesmo taças de marmelada de compra, rendeu 6 taças pequenas e 1 grande, sim na foto já faltam duas.

 20170917_102530.jpg

Os marmelos que ficaram foi para uma nova receita, a partilhar em breve.

Como esta receita levou pouco açúcar optei por guardar no frigorífico, não sei garantir se aguentará bem fora dele.

E vocês já fizeram marmelada este ano utilizando esta receita?

Se quiserem podem partilhar fotos ou enviar por e-mail que terei todo o gosto em partilhar num próximo post.

Até breve :)

publicado por Rosa Cristiana* às 16:22
06
Dez
16

Adoro o Outono especialmente pelas frutas e legumes da época e dos excessos que acabam por ficar também do verão. Assim surgiram-me alguns pimentos vermelhos oferecidos e que não sabia o que fazer.

Gosto bastante de usar pimento na comida, mas chega a um ponto em que já cansa comer pimento com tudo e estes acabaram por ficar mais de uma semana no frigorífico, ainda estavam bons e antes que se estragassem decidi dar-lhes uso, fazendo massa de pimentão.

Já andava há algum tempo para fazer mas achava que eram necessários muitos pimentos vermelhos, mas mesmo assim fiz, apenas com 3 pimentos e deu um frasquinho para eu ir utilizando durante o ano, nada mau.

Para quem tem muitos pimentos vermelhos em excesso podem aproveitar e fazer mais quantidade para oferecer, quem sabe não dá um excelente presente de Natal.

Ingredientes:

pimentos vermelhos

sal

azeite

 

Modo de preparação:

Abrir os pimentos e limpar bem de sementes e partes brancas, lavar e levar a cozer durante cerca de 30 minutos, até que dê para tirar a pele.

Deixar arrefecer um pouco e tirar a pele a todos os pimentos, triturar depois os pimentos até que formem uma pasta homogénea.

Agora devem deixar os pimentos a escorrer durante 24 horas para retirar o excesso de sal, colocar um escorredor com um pano fino e limpo durante 24 horas.

Depois de escorrido é a altura de juntar o sal, numa tigela vão adicionando alternadamente duas colheres de sopa de pimento e uma colher de sopa de sal, no fim misturar tudo muito bem.

Colocar num frasco previamente esterilizado, ou em vários dependendo da quantidade que render e colocar por cima um pouco de azeite a cobrir a massa de pimentão.

Eu tinha 3 pimentos grandes que pesavam cerca de 450g, no final rendeu um frasquinho pequeno com 220g de massa de pimentão, dá bem para o que utilizo e valeu pela experiência e também por esta não ter corantes nem conservantes.

Nota: Esta massa de pimentão caseira leva muito sal para se conservar sem estar no frigorífico por isso quando temperarem com ela devem ter atenção ao tempero do sal para que a comida não fique salgada. Dura cerca de 1 ano, sempre que utilizarem devem repor a camada de azeite ou guardar no frigorífico quando abrirem um frasco, assim não há riscos. Pode ser utilizada para temperar carne em assados, estufados, entre outros pratos, é especialmente utilizada na carne de porco à alentejana.

Boas poupanças*

20161115_171351.jpg

publicado por Rosa Cristiana* às 08:13
23
Jun
16

Tantas vezes vi esta receita pela blogosfera que tive que testar, umas bolachas bem deliciosas.

Ingredientes:

2 bananas grandes esmagadas

2 chávenas de aveia sem glúten 

Depois poderão acrescentar outros ingredientes a gosto:

- Côco (usei 1 chávena)

- Pepitas de chocolate

- Passas

- Nozes, amêndoas.

Depende do gosto e a escolha é variada.

 

Modo de preparação:

Pré-aquecer o forno a 180ºC. Eu triturei um pouco a aveia na picadora, não até ficar farinha mas para ficar um pouco mais fina que os flocos, podem triturar na totalidade até ficar em farinha. Depois numa taça misturar a aveia com as bananas esmagadas misturando muito bem até ficar uma mistura homogénea. E estão as bolachas prontas, não é necessário a adição de açúcar porque as bananas já são doces.

Depois neste ponto podem acrescentar os outros ingredientes a gosto, eu coloquei uma chávena de côco e misturei muito bem.

Coloca-se então num tabuleiro de ir ao forno, forrado com papel vegetal com a ajuda de uma colher ou formando pequenas bolinhas que depois serão achatadas para ficarem em forma de bolacha. Levar depois ao forno cerca de 10 minutos ou até as bolachas estarem prontas. Depois basta deixar arrefecer e estão óptimas para comer, se forem guardadas num recipiente hermético duram vários dias.

Bolachinhas deliciosas e bem saudáveis, ideias para levar para um snack para o trabalho.

20160510_084202.jpg

publicado por Rosa Cristiana* às 15:29
23
Mai
16

Desde que criei este blog e me fui “especializando” na arte de poupar que existem muitos produtos que simplesmente deixei de comprar e que podem fazer bastante diferença no orçamento familiar, principalmente porque a maioria deles estão relacionados com a alimentação:

- Pão ralado, antes comprava apenas pão ralado simples e não era nada barato, agora faço pão ralado com alho e ervas (salsa), muito mais barato, mais natural e fica uma delícia

- Rissóis, croquetes e bolos de bacalhau, são fritos e não era algo que comprasse muito, mas de vez em quando, principalmente em festas lá era mais uma despesa, já para não falar que a qualidade dos caseiros é muito melhor e muitas vezes são feitos de sobras, também podem congelar antes de fritar e ter uma refeição pronta em poucos minutos.

- Bifes panados – Simplesmente já não compro, basta um bife, ovo e pão ralado bem caseiro para ter bifes prontos a panar e são ótimos para uma refeição rápida, até descobri uma versão sem ovo, boa para alérgicos ao ovo.

- Lasanha – Por vezes comprava para uma refeição rápida, daquelas lasanhas pré-feitas, mas desde que comecei a fazer caseiras nunca mais quis das outras, para além de ser comida processada, é em muito inferior à caseira. Pode demorar um pouco mais de tempo, mas compensa pelo sabor e qualidade, quem quiser também pode preparar previamente e congelar para utilizar posteriormente, comecei pela lasanha bolonhesa, mas agora tenho feito mais de frango, é a preferida.

- Pizzas – Desde que comecei a fazer pizzas caseiras que não comprei mais daqueles que antes comprava, congeladas ou frescas para depois aquecer no forno ou no micro-ondas, são mais rápidas mas de qualidade inferior, nas caseiras podemos colocar tudo o que nos apetecer e sabemos exatamente o que leva, para uma refeição mais rápida podemos sempre fazer umas mini-pizzas com pão de forma. Muito raramente compro umas feitas em forno a lenha a um Sr. que vende numa carrinha, que são simplesmente uma delícia, mas neste momento não como há mais de 6 meses.

- Bolos – Quando havia uma festa era um dinheirão que gastava em bolos, agora faço sempre um bolinho caseiro, seja qual for a ocasião, podem não ser tão bonitos como os de compra, ainda não sou nenhuma pasteleira profissional, mas são com certeza mais saudáveis e naturais e muito mais económicos também.

- Biscoitos e bolachas – Bolachas só compro bolacha maria para fazer de vez em quando um bolo de bolacha, de resto fazemos bolachinhas e biscoitos caseiros.

- Doces e compotas – Para aproveitar fruta ou legumes de sobra comecei a fazer alguns doces e compotas, que ficam uma delícia, assim muito raramente compro, na época da fruta prefiro comprar fruta a bom preço e fazer o meu próprio doce. O mesmo com a marmelada.

Bem e deve haver mais algumas coisas que deixei de comprar, outras que simplesmente nunca comprei, e assim conseguimos poupar centenas de euros. Principalmente comida processada ou serviço de take away é algo que não se utiliza cá por casa, a comida caseira além de ficar mais barato é também mais saudável porque sabemos o que comemos.

 

publicado por Rosa Cristiana* às 08:30
19
Abr
16

Já partilhei mais que uma receita de pão ralado caseiro, feito com sobras de pão torrado ou simplesmente com tostas (como habitualmente faço, porque raramente temos sobras de pão).

No entanto sei que com o stress do dia-a-dia nem sempre conseguimos fazer o pão ralado para a receita pretendida, sejam bifes panados, croquetes, rissóis, filetes, etc.

No outro dia fiz pão ralado a mais e cheguei à conclusão que o pão ralado fica ainda melhor quando feito com atencedência e guardado num frasco fechado ou num tupperware, assim já não há desculpa.

Num dia que tenham um pouco mais de tempo aproveitem, conforme esta receita, que é a mais habitual cá em casa por ser muito mais saborosa que a simples, picar na picadora tostas, alhos e salsa (ou outras ervas a gosto).

Depois basta colocar num frasco e guardar para futuras utilizações, pode ser guardado à temperatura ambiente durante muito tempo que não se estraga.

Eu aproveitei para reutilizar um frasco do mel.

Assim temos pão ralado caseiro bem melhor e mais barato que o de compra para qualquer altura.

Quem já experimentou este pão ralado?

13059518_1130160197014304_1273237916_n.jpg

publicado por Rosa Cristiana* às 08:35
25
Fev
16

Tenho estado bastante ausente nos últimos dias, assim ficam alguns dos objetivos de 2016 que já não estão a ser cumpridos, mas o futuro prevê dias melhores e com mais tempo :)

No entanto, não tenho deixado de fazer boas refeições e algumas sobremesas pelo meio, cá fica mais uma bem deliciosa.

Desde que vi esta receita no blog da Laranjinha tive a certeza que a iria fazer.

Então aproveitei que tinha um resto de côco que estava a terminar a validade e fiz a receita, com algumas alterações.

Ingredientes:

6 ovos grandes

2 copos de açúcar

1 lata de ananás em calda (usei das grandes) 8 rodelas

3 copos de farinha com fermento

1 copo e meio de côco ralado

1 copo da calda de ananás

 

Modo de preparação:

Separar as gemas das claras, bater bem as gemas com o açúcar, juntar o ananás desfeito em pedaços muito pequenos, o coco ralado, a farinha e a calda de ananás, bater tudo muito bem.

Bater as claras em castelo e juntar ao preparado anterior suavemente.

Levar a cozer no forno pré-aquecido a 180ºC numa forma untada com manteiga e polvilhada com um pouco de farinha.

Se quiserem podem regar com um pouco de calda de ananás depois de retirar um pouco do forno e polvilhar com um pouco de côco.

Eu não utilizei.

Uma delícia :)

12767494_10153789737534017_1416547523_n-horz.jpg

Bom apetite :)

publicado por Rosa Cristiana* às 08:25
30
Dez
15

O bolo rei é umas das coisas que sobra sempre, por cá este ano foram bastantes, alguns foram diretamente para o congelador ainda bem frescos, assim quando os tirarmos estarão como se tivessem acabado de vir da padaria.

No entanto mesmo do bolo que fica para a consoada sobra sempre e vai ficando uma e outra fatia durante vários dias, até que  começa já a ficar um pouco rijo e pouco saboroso, assim a opção foi uma dica que vi por aí algures na blogosfera, fazer bolo rei torrado para acompanhar com um belo cházinho, dura mais tempo fechado num frasco ou lata e assim conseguimos manter o bolo rei bom durante muito mais tempo.

Assim, cortei o bolo rei em fatias finas, coloquei num tabuleiro e levei ao forno a tostar um pouco, sem deixar torrar demasiado claro, depois podem comer conforme mais gostarem, ainda em quente ou comer estas torradas docinhas acompanhadas com um chá bem quentinho.

Espero que gostem. 

IMG_8429-horz.jpg

 Bom apetite!

publicado por Rosa Cristiana* às 08:41
28
Dez
15

Depois do Natal, acaba por haver sempre muitas sobras, mas como por cá nada se estraga, tudo se transforma, neste e nos próximos posts teremos algumas dicas de aproveitamento de sobras de Natal.

Hoje vamos aproveitar as sobras do bacalhau, dependendo da forma como o bacalhau foi confeccionado, este é um excelente aproveitamento de sobras duma salada de bacalhau com grão de bico.

Ingredientes:

sobras de bacalhau cozido (ou assado) desfiado

3 chávenas de grão de bico cozido (podem ser sobras)

2 cenouras pequenas raladas

6 dentes de alho picados

3 batatas cozidas

couve lombarda ou couve portuguesa cozida (podem ser sobras)

azeite e piri-piri

1 broa de milho pequena picada

 

Modo de preparação:

Num tacho grande, colocar os dentes de alho picados a refogar com um pouco de azeite, refogar um pouco e acrescentar a cenoura ralada, refogando mais um pouco, acrescentar então o bacalhau desfiado e mexer sempre de forma a fica bem desfeito o bacalhau, acrescentar de seguida o grão de bico, as batatas partidas em pequenos cubos e a couve cortada em pequenos pedaços ou em caldo verde, acrescentar mais azeite para não agarrar e misturar tudo muito bem, finalmente adicionar a broa de milho picada, acrescentar mais um pouco de azeite e temperar com piri-piri a gosto, mexer bem e tapar o tacho até que todos os ingredientes fiquem bem quentes.

E está pronto a servir.

Esta é uma pequena variante ao nosso bacalhau com broa, mas feito no tacho.

Uma deliciosa refeição e feita de sobras.

Existem outras refeições que podem ser feitas com aproveitamento de sobras de bacalhau do Natal, Bolos de bacalhau, Bacalhau à brás, Bolo de Bacalhau com azeitonas ou mesmo Bacalhau à Gomes de Sá.

12399388_1058299790867012_1825035205_n.jpg

 

Bom apetite :)

publicado por Rosa Cristiana* às 09:35
14
Out
15

Gosto muito da broa de milho e centeio que normalmente fazemos, mas pretendia fazer um pão diferente, mais parecido com o que habitualmente compramos na padaria.

Já tinha visto a receita do Artisan Bread à muito tempo no Pão, Bolos & Cia, mas faltava-me uma taça grande para o poder guardar no frigorífico.

Entretanto comprei a taça com capacidade de cerca de 5 litros e pus mão à obra.

Ingredientes:

- 1 colher (sopa) de fermento biológico seco (usei 15g de fermento fresco)
- 1 colher (sopa) de sal grosso
- 700ml de água
- 1kg de farinha de trigo T65

 

Modo de preparação:

Numa taça plástica com tampa, comprei uma com capacidade de 5 litros especialmente para isso. Com um pouco da água morna desfazer o fermento e o sal, acrescentar a restante água, adicionar a farinha e incorporar bem com a ajuda de uma colher de pau.

Deixar levedar fora do frigorífico tapado durante 2 horas, ou seja, à temperatura ambiente.

Passadas as duas horas a massa está pronta a ser usada ou então podem colocá-la no frigorífico onde a poderão manter por mais de uma semana (o máximo que mantive a massa foi uma semana, mas já existem relatos com mais tempo e fica boa à mesma, com o tempo fica apenas um pouco mais ácida)

Quando quiserem usar, basta polvilhar a massa com um pouco de farinha, puxar a quantida desejada e cortar com uma faca de serrilha.

Depois colocar numa superfície bastante enfarinhada, podem usar sêmola de milho ou farinha de milho (ou simplesmente trigo) e tende-se uma bola amassando o mínimo possível, rodando a massa e virando para baixo as bordas.
Colocar sobre a pedra enfarinhada ou numa pá de forno e deixar levedar 40min. destapado (eu coloquei diretamente num tabuleiro que levei ao forno porque ainda não tenho a base de terracota).

Pré-aquecer o forno cerca de 20min. antes, a 230ºC, com a base de terracota e o tabuleiro para a água.

Polvilhar o pão com farinha e com uma faca bem afiada fazendo uns golpes de decoração (cruz, xadrez, zebra).
Com uma espátula/pá grande levantar o pão e colocar a massa sobre a pedra e juntar 1 chávena de água quente ao tabuleiro quente (não fiz esta parte mas também ficaram bonitinhos).
Levar ao forno cerca de 30min. a 180-200ºC, até que esteja douradinho. 

Retirar e deixar arrefecer sobre uma grelha ou comer ainda quentinho com manteiga a derreter 

Custo: 0,50€ e deu para 4 pães bem grandinhos (tipo broa), feitos em alturas diferentes :)

Aqui podem ver como estava a massa ao final de 2 horas a levedar.

11657284_965594380137554_1073921023_n.jpg

E aqui estão os meus pães, na última já prontinhos para levar manteiguinha 

11122440_974081949288797_41066048_n.jpg11780551_10153394987889017_1141715783_n.jpg11751381_10153394989069017_251001503_n.jpg

Bom apetite :)

publicado por Rosa Cristiana* às 14:44
07
Out
15

Aproveitando as promoções desta semana, podemos comprar pá de porco a 1,59€ no Pingo Doce, aqui fica uma boa receita para a utilizarem.

Rojões de porco

Ingredientes:

- pá de porco partida em pedaços grandes

- banha de porco 

- sal

- batatas

 

Modo de preparação:

Normalmente os rojões são feitos com a gordura do porco e não com unto (banha de porco) já derretido, nesta receita já utilizamos a banha de porco que trouxe de casa da sogra.

A carne costumo partir em bocados grandes, não muito para ficarem prontos mais rápido.

Temperar a carne de sal e deixar repousar um pouco para apanhar o tempero.

Entretanto colocar banha de porco num tacho até derreter e depois juntar a carne e deve-se ir mexendo com frequência para que não agarre no fundo.

Os rojões estão prontos quando estiverem dourados e a carne bem tenrinha.

Desta vez servi com batatas cozidas.

Bom apetite :)

IMG_20140204_213513.jpg

publicado por Rosa Cristiana* às 09:02
mais sobre mim
Dica da Semana

Publicidade
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO