Março 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Contacto
Dúvidas ou sujestões dicasparapoupar@gmail.com
Newsletter

Escreve aqui o teu e-mail:

Delivered by FeedBurner

31
Mar
16

certificacaoenergetica.jpg

 

Calculo que até mesmo os mais ricos gostem de poupar, apesar de não perderem muito tempo a fazer contas à vida. Por isso, para bem de todas as famílias e respetivas carteiras, reuni algumas dicas que até podem parecer insignificantes mas que podem, efetivamente, ajudar a poupar na conta de eletricidade. A primeira tem a ver com a certificação energética. Já tem o certificado?

É que ao mandar fazer a certificação energética da sua habitação terá não só acesso à avaliação da eficácia energética atual, como também a medidas de melhoria para reduzir o consumo, fornecidas por peritos especializados. Neste caso seria uma vantagem para identificar gastos e descobrir o há de errado na sua casa, potenciando economias de 20 a 40%, que resultam numa clara redução de fatura.

 

Vejamos então dicas concretas:

 

  1. Escolha eletrodomésticos da classe A, A+ ou A++. O tipo de eletrodomésticos que escolhe para a sua casa é determinante na conta da eletricidade ao final de cada mês, contribuindo inclusivamente para a eficácia avaliada na certificação energética. Opte pelos que têm etiqueta energética da classe A, A+ ou A++, pois o consumo de energia é bastante inferior em relação aos modelos de classes mais baixas.
  2. Utilize as tarifas bi-horárias. Paga quase metade do preço normal se utilizar os eletrodomésticos nas horas do vazio, regra geral, entre as 22 e as 8 horas.
  3. Não deixe os seus aparelhos em stand-by. Para poupar na conta da eletricidade é fundamental desligar completamente televisões, computadores, DVDs, carregadores de telemóveis, etc., pois o consumo em stand-by não é assim tão baixo como pensa.
  4. Troque as lâmpadas incandescentes e de halogénio. Opte pelas economizadoras, que reduzem até 80% o consumo de energia elétrica em iluminação, aumentando a eficácia que é avaliada na certificação energética e podendo poupar até 2,1% no consumo de eletricidade.
  5. Apague as luzes. Evite deixar luzes acesas em espaços que não está a utilizar ou em espaços vazios.
  6. Veja se tem lâmpadas limpas. Verifique a limpeza do sistema de iluminação, pois uma lâmpada limpa é mais luminosa e eficiente.
  7. Modere o aquecimento. Não aqueça a casa mais do que o necessário. Se descer dois graus na temperatura habitual não vai notar grande diferença e permitirá poupar na conta da eletricidade. Procure também ver como está o isolamento térmico da casa. Neste caso, os peritos da certificação energética poderão ser uma grande ajuda.
  8. Tenha atenção ao frigorífico. É certo que o frigorífico tem de estar sempre ligado, mas se o colocar junto a uma fonte de calor ou num local exposto ao sol vai estar a aumentar o consumo energético. Assim, coloque-o num local fresco e ventilado, ajuste o termostato entre os 4 e os 7 graus no compartimento do frigorífico e -18ºC no congelador, deixando os alimentos arrefecer antes de os colocar no seu interior. Descongele-o também regularmente, antes que a camada de gelo atinja os 3 milímetros de espessura, pois o gelo também aumenta o consumo. Mais uma vez escolha os frigoríficos da classe A, A+ ou A++, que permitem poupar até 60% de energia.
  9. Utilize programas económicos das máquinas de lavar. No que diz respeito à loiça, use o programa normal apenas quando a loiça está muito suja, optando sempre que possível pelos programas económicos (50ºC a 55ºC). Tenha a mesma filosofia para a roupa: as máquinas hoje em dia já lavam bem a temperaturas baixas. Espere também até ter roupa para encher uma máquina.
  10. Controle o uso do forno elétrico. Os fornos hoje em dia raramente precisam de pré-aquecimento, pois já aquecem rápido. Utilize a função grill só quando for absolutamente necessário, pois consomem até duas vezes mais, cozinhe em recipientes apropriados, feche bem a porta, aproveite ao máximo a capacidade cozinhando o maior número de alimentos possível de uma só vez e desligue o forno cerca de 5 minutos antes das refeições mais demoradas estarem terminadas.

Foto de livre utilização (pixbay)

publicado por Rosa Cristiana* às 08:56
21
Mar
16

contadoreselectricos-tile_.jpg

 

Foi mesmo por acaso que encontrei estas listas onde constam todos os contratos que terão cauções a receber.

Vi uma informação onde indicava que o prazo para os pedidos de devolução de cauções de eletricidade, gás canalizado e água tinha sido prorrogado até 31 de Julho de 2016, assim decidi procurar mais informações sobre o assunto, pois pensei que os meus sogros pudessem ter pago essa caução, mas não tínhamos o número de contrato.

Foi nessa altura que descobri estas informações no site da EDP e da GALP, por falta de tempo não as partilhei logo, mas ainda vou a tempo.

Não sabem do que se trata?

Em contratos de eletricidade, água e gás canalizado celebrados antes de 1999 eram exigidas cauções. Algumas foram devolvidas através da dedução da caução na fatura ou da devolução através do NIB, para quem tinha pagamento por débito direto, mas muitas delas ainda não foram devolvidas aos consumidores.

Existem cerca de 18 milhões de euros em cauções que estão por devolver aos clientes, essas cauções tem que ser solicitadas à Direcção Geral do Consumidor para poderem ser recebidas, assim verifiquem se não tem nenhum contrato mencionado nas listas abaixo.

Nos links abaixo encontram as listas com os números de contrato que tenham cauções a receber, aparece o nome e o número do contrato, por uma questão de privacidade não aparecem os números de contribuinte.

Lista de contratos de eletricidade EDP

Lista de contratos de gás canalizado EDP

Lista de contratos de gás canalizado Galp

No caso das cauções de água, devem consultar a vossa autarquia para saber a lista dos contratos que têm cauções por devolver.

Se não tiverem o número de contrato por já ser muito antigo, entrem em contacto com a empresa ou autarquia com quem tinham contrato e peçam o número de todos os contratos que estiveram em nome da pessoa em questão, podem necessitar da morada a que se refere o contrato, por isso reúnam o maior número de dados possível, tendo o número do contrato é mais fácil pesquisar na lista e saber se terão direito a receber alguma caução.

Importante:

- Só receberá caução quem a tiver pago e não lhe tiver sido restituída o valor restituído é exatamente o valor pago, se pagaram 1000$, agora só receberão 5€, no entanto tem havido casos de pessoas que já receberam 500€ ou mais de caução, tudo depende do valor que foi pago aquando da celebração do contrato.

- Seja o valor que for é vosso e têm o direito de o receber

- Se já fizeram o pedido de devolução das cauções e o vosso nome e contrato aparecem na lista, não precisam de o fazer novamente, serão contactados pela DGC.

- Se o vosso nome e número de contrato aparece na lista devem pedir ao fornecedor em questão a respetiva declaração comprovativa do direito à devolução da caução e depois enviar o pedido para a Direcção Geral do Consumidor acompanhada dos vossos dados e NIB para devolução do valor, podem obter mais informações aqui, aqui e aqui.

- Se o vosso nome não aparece na lista, não vale a pena pedir a devolução da caução pois não terão nada a receber, ou não pagaram caução ou já a receberam anteriormente

Partilhem a informação, o vosso nome pode não constar nas listas, mas pode constar de vizinhos, amigos ou conhecidos, partilhem para chegar ao maior número de pessoas e se conhecerem as pessoas ou empresas cujo nome aparece nas listas façam-lhe chegar esta informação para que o maior número de pessoas possível possa receber a sua caução, como já referi o valor pode ser superior a 500€.

publicado por Rosa Cristiana* às 11:01
mais sobre mim
Dica da Semana

Publicidade
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO